A moedas de R$ 1 é muito rara e pode valer R$ 7.000; Entendendo o Caso

Se você tem alguns desses itens em casa, saiba que eles podem te trazer uma quantia decente de dinheiro nos dias de hoje.

Muitas pessoas podem ter uma pequena fortuna em casa e não saber. Quem se lembra das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016, sem dúvida, também se lembrará do sucesso da coleção de moedas de R$ 1 inspirada nos esportes olímpicos e paralímpicos. Sabendo que esses itens podem trazer uma quantia decente de dinheiro nos dias de hoje.

Quem é apaixonado por moedas antigas e gosta de colecioná-las é considerado um “nômade”. O termo vem da palavra grega “nomisma”, que significa “moeda”. Este grupo de pessoas que são realmente apaixonados por arrecadar dinheiro de todo o mundo pode fornecer uma enorme quantia de dinheiro para a Moeda Comemorativa dos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

No total, 16 unidades representam a forma esportiva do jogo e estão estampadas na face da moeda de R$ 1, que pode atingir um valor de mercado substancial. A mais valiosa delas é a chamada “moeda da bandeira”, que simboliza a transferência da bandeira olímpica dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

moedas-brasil-1
Pixabay

Quanto vale a moeda olímpica hoje?

Não há como determinar o preço exato de compra de uma moeda, que pode variar devido à sua raridade. Portanto, quanto mais antigo e mais difícil é encontrar um item, mais valioso ele se torna.

No caso das moedas dos Jogos Olímpicos Rio 2016, os pontos de coleta oferecem até R$ 7.000 pela coleção completa. Ou seja, 16 R$ 1 centavo pode render uma boa quantia de dinheiro hoje.

Existem também lojas que vendem peças individuais, uma opção ideal para quem procura completar uma coleção. No caso da moeda da bandeira olímpica, ela sozinha pode valer entre R$ 175 e R$ 300 no mercado. Outros esportes, como atletismo, natação, paraquedismo e os mascotes Vinicius e Tom, por exemplo, podem custar entre R$ 8 e R$ 30.

1 comentário em “A moedas de R$ 1 é muito rara e pode valer R$ 7.000; Entendendo o Caso”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.